Home / Destaque / CTB: aumento da tarifa de ônibus em Itabuna é crime contra a população

CTB: aumento da tarifa de ônibus em Itabuna é crime contra a população

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil vem a público manifestar seu repúdio pela aprovação do aumento na tarifa de transporte coletivo em Itabuna, por parte do Conselho Municipal de Transporte. Votaram contra o descabido aumento os representantes do Sindicato dos Comerciários, API/APLB e da União das Associações de Bairros de Itabuna.

Não existe justificativa plausível que embase tal aumento. A população de Itabuna é assistida por um serviço de péssima qualidade, com poucos veículos (invariavelmente lotados), frota sucateada e atrasos constantes. Impera o desrespeito aos rodoviários, que sofrem com o acúmulo de função. Levando em consideração que as mesmas empresas exploram o serviço há décadas, sem fazer qualquer tipo de investimento que melhore a qualidade do transporte coletivo em nossa cidade, podemos afirmar que a atual tarifa já é suficientemente cara, uma das maiores do país. Por tudo isso, a CTB é radicalmente contra qualquer aumento da tarifa.

Num momento em que os trabalhadores e trabalhadoras são vitimados pelo arrocho salarial, perda de empregos, retirada de direitos em virtude da nova legislação trabalhista, além de aumentos sucessivos nas contas de água, energia elétrica, botijão de gás, etc, reajustar a tarifa de transporte coletivo representa um crime contra a classe trabalhadora e a população de Itabuna. A CTB espera que a prudência e o bom senso prevaleçam sobre a ganância dos donos das empresas de transporte coletivo de Itabuna e o prefeito não autorize o reajuste.

A partir do próximo dia 08 de fevereiro, a passagem no transporte coletivo em Itabuna irá custar R$ 3,30 e o acertado com as entidades trabalhistas em reunião realizada no final do ano passado seria de R$ 3,00. O decreto com o reajuste foi assinado pelo prefeito Fernando Gomes na última segunda-feira (8)

Além disso, verifique

Itabuna-BA: Mulher comete suicídio no Hospital de Base

Share this on WhatsApp Patrícia dos Santos Dias, 35 anos, cometeu suicídio, se enforcando, no ...

Deixe um Comentário